12 de novembro de 2018
No evento de 2018, fabricantes exibem vários conceitos e modelos elétricos - e alguns deles já estarão em breve nas concessionárias

Por Marcio Ishikawa |

O Salão do Automóvel de São Paulo de 2018 será lembrado, no futuro, como a edição do evento em que a eletrificação dos automóveis ganhou o primeiro impulso verdadeiro no mercado brasileiro. Praticamente todas as marcas exigiram algum tipo de novidade eletrificada – desde modelos conceituais ao anúncio do início das vendas de alguns carros elétricos. Fruto tanto da estratégia global da maior partes das marcas, como da redução no IPI para modelos elétricos e híbridos.

O Renault Zoe, que até então era comercializado apenas para empresas em projetos de mobilidade de zero emissão, já está em esquema de pré-venda pelo site da Renault, a partir de R$ 149.990. Dessa forma, ele será o modelo elétrico mais barato do mercado brasileiro. O valor do carregador (R$ 5.130) e da instalação (cujo valor pode variar, dependendo da necessidade de modificações na estrutura local e/ou na rede elétrica) não estão inclusos. A previsão é que as primeiras entregas do Renault Zoe, que tem autonomia aproximada de 300 quilômetros com uma carga, aconteçam em fevereiro de 2019.

Outro que entrou em esquema de pré-venda a partir do Salão do Automóvel é o Nissan Leaf, custando a partir de 178.400 – além do Brasil, o elétrico também passa a ser comercializado no Chile e na Colômbia. O modelo que será vendido é da geração atual, posterior à que teve algumas unidades circulando no Brasil nos últimos anos, em caráter de testes e em parcerias de projetos de mobilidade elétrica. As reservas podem ser feitas pelo site da Nissan – segundo o qual a previsão de entrega do veículo é até o final do primeiro semestre de 2019. A sua autonomia de até 241 km e o preço inclui o carregador doméstico comum.

O Chevrolet Bolt também foi confirmado no Brasil e, segundo a marca começa a ser vendido nas concessionárias da marca a partir do início do ano que vem. A autonomia divulgada é maior que a dos dois concorrentes que chegam no Salão: no total, são 383 quilômetros – com preço de R$ 175.000.

Outros destaques elétricos do Salão do Automóvel
Já no estande da CAOA Chery nada menos que quatro modelos elétricos foram expostos – o SUV Tiggo 2e, o sedã Arrizo 5e e os compactos eQ (de tamanho equivalente ao QQ) e o eQ 1(ainda menor que o QQ). Apesar da grande variedade, os executivos da marca revelam que, no momento, não há previsão de vendas.

O segmento Premium também apresentou novidades no Salão do Automóvel. A Audi confirmou que irá trazer, a partir do segundo semestre do ano que vem, o e-tron, seu primeiro modelo 100% elétrico. O preço ainda não está confirmado, mas os executivos da marca acreditam que ficará na casa dos R$ 400 mil. O modelo será importado da Bélgica.

A Mercedes-Benz trouxe o conceito elétrico EQ, além de mostrar o Smart Forfour EQ – já é sabido que a marca de microcarros do grupo Daimler pretente eletrificar todos os seus modelos até 2020. No entanto, a marca ainda deixa em aberto a possibilidade de trazer esses veículos para o Brasil nos próximos anos, possivelmente aguardando a evolução do mercado e a demanda pelos modelos recém-anunciados.

Já a Lexus, marca Premium do grupo Toyota, revelou que o seu line-up no Brasil será inteiramente composto de modelos híbridos – será o primeiro mercado no mundo em que isso acontecerá. Isso deve acontecer a partir do segundo semestre de 2019, com a renovação do modelo RX.

Alto conteúdo de alumínio
Além das atrações elétricas, o Salão também contou com a exibição de muitos modelos que trazem um elevado conteúdo de alumínio, como Audi A7, A8 e Q8, Jeep Wrangler e Rolls-Royce Cullinan.

Salão do Automóvel entra na era da eletrificação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *