15 de fevereiro de 2017
Utilitário-esportivo usa, em sua versão de entrada, o novo motor SCe com bloco de alumínio

Está oficialmente lançado o Renault Captur no mercado brasileiro. O SUV, que havia sido apresentado ao público brasileiro no último Salão do Automóvel de São Paulo, chega às concessionárias em março, vendido em duas versões: Captur Zen, com motor 1.6 de 120/118 cavalos (etanol/gasolina) e câmbio manual, ao preço de R$ 78900, e Captur Intense, com motor 2.0 de 148/143 cavalos, acoplado a uma transmissão automática, custando R$ 88490.

Renault Captur

Uma das principais atrações do Renault Captur é o novo motor 1.6 da linha SCe, que utiliza bloco de alumínio e estreou nos modelos da Renault no final do ano passado – equipando os modelos Sandero e Logan (versão com 118/115 cavalos de potência, com etanol/gasolina) e Duster e Duster Oroch (versão 120/118 cv). O motor, em comparação com a versão 1.6 anterior, ficou 30 quilos mais leve e o seu consumo caiu mais de 20%, segundo a Renault.

As duas opções de motorização contam com o ESM (Energy Smart Management), sistema de regeneração de energia inspirado no motor que é produzido pela Renault para a Fórmula 1. Nas desacelerações, quando o motorista tira o pé do acelerador, o motor continua girando sem consumir combustível e o alternador carrega a bateria. Dessa forma, nas acelerações, ele não precisa “roubar” energia do motor para enviar à bateria, uma vez que a carga foi feita previamente. Segundo a Renault, o sistema garante um consumo até 2% menor.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ainda de acordo com a fabricante, o Renault Captur é o utilitário-esportivo que oferece a maior altura da carroceria em relação ao solo, com 21,2 centímetros, e também a posição de dirigir mais elevada da categoria – o chamado “ponto H”, que determina a distância do quadril do motorista em relação ao solo, está localizada a 70,8 cm.

Visualmente, o SUV adota a nova identidade visual da marca e oferece a possibilidade de uma pintura em dois tons, com o teto pintado em uma cor diferente do restante do veículo. A impressão de elevada distância do solo é reforçada, ainda pela parte inferior das laterais pintadas em preto.

O Captur Zen tem como principais itens de série: airbags frontais e laterais, controle eletrônico de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, ABS, sistema ISOFIX de fixação de cadeirinhas, luzes diurnas em LED, piloto automático e limitador de velocidade. Sistema multimídia, câmera de ré e pintura biton são opcionais.

A versão intense adiciona rodas diamantadas, sistema multimídia Media Nav, câmera de ré, sensores de chuva e crepuscular. Bancos de couro e pintura biton são opcionais.

Renault Captur chega em março
4 comentários sobre a matéria:
  • 27/02/2017 em 16:30

    É um carro muito dinâmico, de estilo arrojado, com muita imponência.
    Me inspira confiança por ser um carro de personalidade esportiva.
    N
    Mas não tenho condições de adquirir um pelas minhas condições financeiras, é o meu sonho ter um carro assim.
    Estou montando um processo para adquirir um carro automático, por ter uma deficiência na coluna, mas ainda com o limite de preços imposto pelo governo não terei condições de adquirir um Captur.
    Ficarei na expectativa de que aumenta o limite mínimo para que eu possa juntar uma grana e negociar preços com a consecionaria.

    Responder
    • 06/03/2017 em 08:10

      Examinei a Captur 2.0. Me recusei na concessionária a fazer o test drive. Motor antigo, câmbio AT 4 ruim e carro gastão. Tem equipamentos suficientes e é bonita, mas a visibilidade angular é muito pior que a do Duster.
      Se quer um carro bom da Renault compre um Duster 1.6 manual ou então o CVT se vier, no Duster, Stepway, Sandero ou Logan. São bons de manutenção, seguro barato, longe de buraqueira e boas concessionárias, em geral. Mas Captur, esta aí, Deus me livre . Só se mudarem e muito. A francesa sim, é muito boa. Vamos ver como fica depois a 1.6, apesar de não ser tão boa em visão como o Duster. Não quer dizer que outras marcas sejam muito melhores não, a maioria é gastona e de motores já meio ultrapassados, a maioria só cheia de firulas e trecos e tarecos pouco interessantes à manutenção ou a seu bolso, só costumam aumentar suas despesas. Não serve também para garagens com colunas e pouco espaço . Eu tenho em casa vários veículos( GM,Peugeot,Renault,Fiat) e prefiro ainda o Duster Tech Road I.6 manual, que só gostaria que tivessem aprimorado agora com o novo motor e câmbio passasse a CVT para ser um pouco mais econômico em cidade, pois estrada faz até 14km/litro, mais que o novo. Falam muito dos Renault, mas acho carros razoáveis, precisam apenas de um pouco de capricho no acabamento. Espaço tem de sobra.

      Responder
  • 13/03/2017 em 11:11

    Bom dia sempre fui apaixonado pelos carros Renault, pouca manutenção, motor de longa duração, o interior e o acabamento sempre foram pontos fortes desta empresa, porém o design externo nunca me agradou muito, Possuí o Scenic Megané, não tem melhor para família, o Sandero muito bom mas o design continuava a ser o incomodo, mas ao ver o design do Captur, que já havia mudado com Veloster, me impressionou. Acredito que o que faltava foi finalmente corrigido.

    Responder
  • 18/03/2017 em 11:58

    TENHO UM 208 QUE COMPREI ZERO, É O TERCEIRO MODELO DA MARCA QUE ADQUIRO. PRETENDO TROCA-LO, JÁ ESTOU DE OLHO NO CAPTUR. PRECISO CONHECER MELHOR.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *