15 de fevereiro de 2017
Utilitário-esportivo usa, em sua versão de entrada, o novo motor SCe com bloco de alumínio

Está oficialmente lançado o Renault Captur no mercado brasileiro. O SUV, que havia sido apresentado ao público brasileiro no último Salão do Automóvel de São Paulo, chega às concessionárias em março, vendido em duas versões: Captur Zen, com motor 1.6 de 120/118 cavalos (etanol/gasolina) e câmbio manual, ao preço de R$ 78900, e Captur Intense, com motor 2.0 de 148/143 cavalos, acoplado a uma transmissão automática, custando R$ 88490.

Renault Captur

Uma das principais atrações do Renault Captur é o novo motor 1.6 da linha SCe, que utiliza bloco de alumínio e estreou nos modelos da Renault no final do ano passado – equipando os modelos Sandero e Logan (versão com 118/115 cavalos de potência, com etanol/gasolina) e Duster e Duster Oroch (versão 120/118 cv). O motor, em comparação com a versão 1.6 anterior, ficou 30 quilos mais leve e o seu consumo caiu mais de 20%, segundo a Renault.

As duas opções de motorização contam com o ESM (Energy Smart Management), sistema de regeneração de energia inspirado no motor que é produzido pela Renault para a Fórmula 1. Nas desacelerações, quando o motorista tira o pé do acelerador, o motor continua girando sem consumir combustível e o alternador carrega a bateria. Dessa forma, nas acelerações, ele não precisa “roubar” energia do motor para enviar à bateria, uma vez que a carga foi feita previamente. Segundo a Renault, o sistema garante um consumo até 2% menor.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ainda de acordo com a fabricante, o Renault Captur é o utilitário-esportivo que oferece a maior altura da carroceria em relação ao solo, com 21,2 centímetros, e também a posição de dirigir mais elevada da categoria – o chamado “ponto H”, que determina a distância do quadril do motorista em relação ao solo, está localizada a 70,8 cm.

Visualmente, o SUV adota a nova identidade visual da marca e oferece a possibilidade de uma pintura em dois tons, com o teto pintado em uma cor diferente do restante do veículo. A impressão de elevada distância do solo é reforçada, ainda pela parte inferior das laterais pintadas em preto.

O Captur Zen tem como principais itens de série: airbags frontais e laterais, controle eletrônico de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, ABS, sistema ISOFIX de fixação de cadeirinhas, luzes diurnas em LED, piloto automático e limitador de velocidade. Sistema multimídia, câmera de ré e pintura biton são opcionais.

A versão intense adiciona rodas diamantadas, sistema multimídia Media Nav, câmera de ré, sensores de chuva e crepuscular. Bancos de couro e pintura biton são opcionais.

Renault Captur chega em março
6 comentários sobre a matéria:
  • 27/02/2017 em 16:30

    É um carro muito dinâmico, de estilo arrojado, com muita imponência.
    Me inspira confiança por ser um carro de personalidade esportiva.
    N
    Mas não tenho condições de adquirir um pelas minhas condições financeiras, é o meu sonho ter um carro assim.
    Estou montando um processo para adquirir um carro automático, por ter uma deficiência na coluna, mas ainda com o limite de preços imposto pelo governo não terei condições de adquirir um Captur.
    Ficarei na expectativa de que aumenta o limite mínimo para que eu possa juntar uma grana e negociar preços com a consecionaria.

    Responder
    • 06/03/2017 em 08:10

      Examinei a Captur 2.0. Me recusei na concessionária a fazer o test drive. Motor antigo, câmbio AT 4 ruim e carro gastão. Tem equipamentos suficientes e é bonita, mas a visibilidade angular é muito pior que a do Duster.
      Se quer um carro bom da Renault compre um Duster 1.6 manual ou então o CVT se vier, no Duster, Stepway, Sandero ou Logan. São bons de manutenção, seguro barato, longe de buraqueira e boas concessionárias, em geral. Mas Captur, esta aí, Deus me livre . Só se mudarem e muito. A francesa sim, é muito boa. Vamos ver como fica depois a 1.6, apesar de não ser tão boa em visão como o Duster. Não quer dizer que outras marcas sejam muito melhores não, a maioria é gastona e de motores já meio ultrapassados, a maioria só cheia de firulas e trecos e tarecos pouco interessantes à manutenção ou a seu bolso, só costumam aumentar suas despesas. Não serve também para garagens com colunas e pouco espaço . Eu tenho em casa vários veículos( GM,Peugeot,Renault,Fiat) e prefiro ainda o Duster Tech Road I.6 manual, que só gostaria que tivessem aprimorado agora com o novo motor e câmbio passasse a CVT para ser um pouco mais econômico em cidade, pois estrada faz até 14km/litro, mais que o novo. Falam muito dos Renault, mas acho carros razoáveis, precisam apenas de um pouco de capricho no acabamento. Espaço tem de sobra.

      Responder
  • 13/03/2017 em 11:11

    Bom dia sempre fui apaixonado pelos carros Renault, pouca manutenção, motor de longa duração, o interior e o acabamento sempre foram pontos fortes desta empresa, porém o design externo nunca me agradou muito, Possuí o Scenic Megané, não tem melhor para família, o Sandero muito bom mas o design continuava a ser o incomodo, mas ao ver o design do Captur, que já havia mudado com Veloster, me impressionou. Acredito que o que faltava foi finalmente corrigido.

    Responder
  • 18/03/2017 em 11:58

    TENHO UM 208 QUE COMPREI ZERO, É O TERCEIRO MODELO DA MARCA QUE ADQUIRO. PRETENDO TROCA-LO, JÁ ESTOU DE OLHO NO CAPTUR. PRECISO CONHECER MELHOR.

    Responder
  • 17/09/2017 em 12:07

    Quero comprar um Captur. Vou a uma concessionária ver as condições

    Responder
  • 08/10/2017 em 11:41

    Sempre comprei Renault atualmente tem um Sandero Stepway 2016 quero fazer um teste nesse captur 2,0 mais parece que aqui no meu estado de mato grosso do sul na capital campo grande MS não está tendo uma concessionária da Renault .

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *