14 de dezembro de 2012
Modelo de luxo mostra todo potencial do alumínio em um veículo de grande porte: redução de peso de até 420 kg, que permite utilização de motor menor com mesmo nível de dirigibilidade

Alexandre Akashi |

A Jaguar Land Rover (JLR) apresentou recentemente até onde é possível chegar quando o assunto redução de peso em um automóvel é levado a sério. Prova cabal é o novo Ranger Rover Vogue, primeiro SUV do mundo feito com carroceria 100% em alumínio, que também ocupa o lugar de metais ferrosos no chassi, painéis, suspensão e no conjunto powertrain. Essa substituição de metais confere a redução de peso de até 420 kg, dependendo da versão.

aluauto-mat24-img2
Peso leve: primeiro SUV 100% em alumínio custará apenas 4% mais caro do que modelo atual

A montadora informa que essa arquitetura com baixo peso sustentará a próxima geração de SUVs Range Rover, assim é possível presumir que em um futuro próximo, os demais modelos da marca terão também carroceria em alumíno. O próximo é o Ranger Rover Sport, que será apresentado no Salão de Genebra, em março de 2013. Afinal, o programa de para tornar os veículos mais leves com uso do alumínio recebeu investimentos de 1 bilhão de libras.Um dos segredos da JLR foi o amplo uso da liga de alumínio Anticorodal®-300 (Ac-300 T61), fornecida pela Novelis, em componentes de absorção de impacto do novo Range Rover Vogue. O resultado foi uma estrutura 39% mais leve que a carroceria de aço do atual modelo, representando uma redução de peso de mais de 180 kg somente em carroceria. Em tempo, a Ac-300 T61 é uma  liga estrutural de alta resistência, aplicada de forma inédita na indústria automotiva, que confere ao veículo uma estrutura otimizada protegendo os ocupantes com uma célula de segurança incrivelmente forte e estável, fornecendo uma plataforma muito rígida e dinâmica.

Um fator chave na criação dessa carroceria tão eficiente em termos de peso é a maneira com que diferentes formas de componentes de alumínio são empregadas dentro de uma mesma estrutura: painéis estampados, mais peças fundidas e outras extrudadas são combinadas em uma estrutura rigorosamente otimizada onde a resistência é concentrada precisamente onde as cargas são maiores. As articulações são rebitadas e unidas com adesivos, utilizando técnicas originalmente desenvolvidas para o setor aeroespacial e adaptadas para uso automotivo pela JLR. Assim, métodos de construção tradicionais intensivos em termos de energia, como solda, não são mais necessários, e o novo Range Rover Vogue é produzido em uma instalação de carrocerias de última geração totalmente nova.

Em outro pioneirismo automotivo, toda a parte lateral da carroceria do veículo é estampada a partir de um único painel de alumínio, reduzindo assim a quantidade de juntas, eliminando complexas montagens e melhorando a integridade estrutural. Os painéis exteriores são feitos a partir da liga de alumínio Anticorodal®-600 PX (Ac-600 PX), também fornecida pela Novelis, que proporciona robustez e qualidade de acabamento, mas com muito mais conformabilidade.

Segundo o vice-presidente da Novelis para o Mercado Automotivo Global, Roland Harings, a Ac-600 foi desenvolvida por cientistas da Novelis especialmente para o uso automotivo, é 20% mais resistente do que ligas típicas de alumínio para chapas automotivas, e ainda oferece melhor conformabilidade do que outras ligas de alta resistência, conjunto que permite trabalhar com espessuras até 15% menores, o que a torna ideal para aplicações como tetos, capôs, para-lamas e portas.

Motorização
Os clientes brasileiros têm a escolha de dois motores, um gasolina V8 5.0l Supercharged de 510 cv (2.360 kg – 322g de CO2/Km) e um turbo diesel 4.4l de 339 cv (2.330 kg – 229g de CO2/Km), ambos chegam com transmissão automática de oito velocidades. Os preços ainda não foram definidos, mas espera-se que fiquem de 3% a 4% mais caros do que os atuais.

Segundo a Land Rover, a estrutura mais leve também possibilita introduzir o sofisticado motor TDV6 de 3.0 litros na linha do modelo, porém sem previsão para vir ao mercado brasileiro. Com este propulsor, o Vogue atinge a economia total de peso de 420kg, e propicia uma redução na ordem de 22% no consumo de combustível e emissões de CO2, atingindo números de 196g/km.

E, em um futuro breve (2014), os planos da montadora são ainda mais agressivos, com a introdução de um modelo híbrido a diesel de última geração em termos de eficiência, com alvo de emissão de CO2 de 169g/km. Nada mal para um veículo de quase 5 metros de comprimento, mais de 2 metros de largura e 1,83 m de altura, com mais de duas toneladas de peso.

Reciclagem
De acordo com a JLR, até 75% de todo alumínio utilizado na produção do Vogue é proveniente da reciclagem, o que proporciona economia significativa de energia e emissões de CO2, uma vez que componentes feitos a partir de material reciclado utilizam apenas 5% da energia necessária para a produção com alumínio primário.

A responsável por todo fornecimento de alumínio para a JLR é a Novelis, que também foi escolhida para recuperar toda a sucata de chapas resultante dos processos fabris e criar um sistema de reciclagem hermético. Segundo Harings, este sistema permitirá a montadora atender a crescente demanda dos clientes ao redor do mundo por veículos mais leves, econômicos e que emitam menos gases poluentes. “Esta parceria reflete os caminhos de crescimento de ambas as empresas alinhadas em alcançar metas de sustentabilidade por meio da colaboração em um comprovado sistema de reciclagem de alumínio em circuito fechado”, diz o executivo da Novelis.
Range Rover Vogue: primeiro SUV 100% de alumínio
Um comentário sobre a matéria:
  • 01/02/2016 em 19:05

    Sem dúvida o setor automotivo tem que avaliar com mais seriedade o uso do alumínio nos diversos veículos e equipamentos do segmento para evoluir técnica e economicamente os produtos!
    Sou fã do alumínio e por ele trabalharei!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *