21 de fevereiro de 2019
Desenvolvido por equipe da Universidade de Novosibirsk, propulsor conta com peças tratadas com descargas de plasma

Por Marcio Ishikawa |

Cientistas da Universidade de Novosibirsk, na Rússia, iniciaram os testes de campo do primeiro motor aeronáutico de combustão interna feito inteiramente em alumínio. Uma unidade experimental foi colocada em funcionamento pela primeira vez fora da bancada durante várias horas no aeroporto de Mochishche.

Yakolev Yak-52 - motor de aviação integral em alumínio

O uso de alumínio em todas as partes do motor foi possível graças a uma nova técnica chamada oxidação eletrolítica com plasma. Nela, as peças de alumínio são tratadas com descargas de plasma, resultando em uma camada microscópica de óxido de alumínio na superfície das peças de alumínio.

Esse revestimento incrementa significativamente a resistência das peças de alumínio, tanto em relação ao stress como a temperaturas elevadas – características básicas de um motor de aviação. Esse teste também serviu para avaliar a performance deste revestimento.

Um incidente acabou marcando o teste. Em um dos estágios da avaliação, um pedaço do revestimento sofreu um pequena avaria, levando a danos no sistema de vedação do sistema de óleo. “Testes como esse sempre estão sujeitos a esse tipo de problema. Nós estamos até felizes que isso aconteceu, pois vimos que, mesmo com emissão de fumaça, o motor não parou e continuou funcionando”, disse o professor Ilya Zverkov, chefe da equipe de desenvolvimento de aviação de Novosibirsk.

A substituição do aço pelo alumínio reduziu o peso do motor de 30 a 40% em comparação com uma unidade tradicional com potência similar, que é utilizado no monomotor Yakolev Yak-52, modelo usado em treinamentos e acrobacias. Ao mesmo tempo, houve um incremento de 10% na potência e redução de 15% no consumo de combustível. 

A utilização do alumínio também possibilitará a produção de uma unidade de menores dimensões, o que fará com que o motor possa ser utilizado em aviões de menor porte que o Yak-52.

Leia também:

– Stelia Aerospace usa 3D para reforço de painéis de fuselagem de aviões
– Nova liga de alumínio-cério tem potencial automobilístico e aeronáutico

Primeiro motor de aviação em alumínio realiza teste inicial fora da bancada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *