14 de novembro de 2018
Projeto de desenvolvimento de produção em série com impressão 3D é formado por Daimler, Premium Aerotec e EOS

Por Marcio Ishikawa |

A primeira planta piloto de impressão 3D do projeto NextGenAM entrou em operação no último mês de setembro, em Varel, no norte da Alemanha. Lançado em maio de 2017 através de um acordo de colaboração entre a Daimler, a Premium Aerotec (fornecedora de peças aeroespaciais) e a EOS (especializada em tecnologia de impressão 3D), o consórcio tem por objetivo desenvolver as bases de um futuro sistema de produção em série utilizando tecnologias de impressão 3D.

NextGenAM

Nesta planta piloto, o principal objetivo é criar uma célula de produção completa, capaz de fabricar componentes de alumínio para as indústrias automotiva e aeroespacial. Além de contar com vários equipamentos de impressão 3D, a fábrica também realiza trabalhos de pós-processamento e desenvolve processos de garantia de qualidade.

A principal inovação diz respeito à cadeia de produção, em que os processos individuais de todos os processos de produção, sejam os convencionais ou os de impressão 3D, são totalmente automatizados e integrados – com a eliminação total de processos manuais. A ideia é que componentes complexo possam ser produzidos com um alto grau de automação, de forma a viabilizar a sua implementação comercial.

NextGenAM

Um mais importante equipamento da planta é o M 400-4, sistema a laser para impressão 3D de metais, equipado com a estação de pó de metal, conectada com estações independentes de setup e desembalagem. Com essa configuração, os processos de carregamento e esvaziamento do pó de alumínio, setagem do sistema para um novo trabalho e a retirada dos componentes produzidos da cama de pó metálico podem ser feitos de forma independente e paralela, otimizando o processo de manufatura aditiva e melhorando a produtividade. O transporte entre as estações ocorre em um container, sob proteção gasosa, em um veículo totalmente automatizado.

NextGenAM

Segundo a NextGenAM, o pós-processamento a jusante também vem sendo automatizado. Um robô leva uma plataforma com as peças produzidas da estação diretamente para o forno para o tratamento térmico. Depois, o mesmo autômato remove a plataforma e leva as peças tratadas para a análise tridimensional de medidas. Por fim, a plataforma de construção é levada até uma serra, que separa as peças da plataforma.

“A impressão 3D está em vias de se estabelecer no setor automotivo como um método adicional de manufatura com grande versatilidade. Com o NextGenAM, um projeto colaborativo, estamos dando largos passos para e redução de custos na impressão de metais ao longo de toda a cadeia. Esta é uma pedra fundamental para a futura realização da produção em larga escala, com a mesma confiabilidade, funcionalidade, durabilidade e economia que os atuais processos convencionais”

Jasmin Eichler, Head de Pesquisa de Futuras Tecnologias da Daimler

Nos próximos meses, o processo piloto será submetido a novos testes e setores da planta serão auditados. Além disso, os dados de produção serão analisados e compilados para se obter informações precisas a respeito de tempos de processo, rentabilidade e otimização de custos.

Leia também:
-A impressão 3D e o alumínio
– Impressão 3D com alumínio de alta resistência
-A maior peça já produzida com impressão 3D em alumínio

NextGenAM coloca planta piloto em funcionamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *