20 de maio de 2019
Suportes de motor produzidos com impressão 3D já são usados como reposição pela Daimler em seus caminhões

Por Marcio Ishikawa |

Depois de iniciar a operação de uma planta piloto, o projeto NextGenAM, uma parceria entre Daimler, Premium Aerotec e EOS, entra agora em uma nova fase. As primeiras peças feitas lá produzidas com tecnologia de impressão 3D em alumínio, suportes de motores a diesel, começaram a ser utilizadas na reposição de peças pela Daimler. A empresa ainda revela que já estão em análise, no Centro de Competência para Impressão 3D da Daimler Buses, os primeiros estudos para encaminhar as primeiras solicitações de peças de reposição em alumínio, feitas com manufatura aditiva, para ônibus.

NextGenAM

Os processos de impressão 3D são particularmente atrativos no setor de peças de reposição, uma vez que peças que não são frequentemente substituídas podem ser reproduzidas com um custo mais efetivo que os processos convencionais de fundição de areia ou pressão. E isso sem perda de qualidade: a planta piloto da NextGenAM já fabrica componentes de acordo com padrões de qualidade da produção em série da Daimler.

“A manufatura aditiva é também ideal para a produção de pequenas séries de peças para veículos de edição limitada. O desenvolvimento sistemático de de peças especialmente para a impressão 3D significará que os custos de produção poderão ser reduzidos ainda mais e a qualidade dos produtos, aumentada.”
Jasmin Eichler, Head de Futuras Tecnologias da Daimler, sobre as aplicações do trabalho desenvolvido na NextGenAM

A executiva ainda aponta que a impressão 3D também faz sentido durante o processo  de desenvolvimento dos veículos – uma vez que a pequena demanda de produção nessa fase pode ser atendida com custo mais efetivo e de forma mais rápida pela manufatura aditiva do que pelas formas convencionais de produção.

Segundo Eichler, isso se aplica tanto a veículos equipados com motor a combustão tanto como veículos elétricos. E, nesse segundo caso, a impressão 3D também é adequada, por exemplo, para a produção das placas de base integradas que transportam as linhas de resfriamento para as baterias em veículos elétricos.

Uma sequência contínua de dados da impressão 3D, dotado de gerenciamento de qualidade integrado, torna este sistema de produção um benchmark para a Indústria 4.0. O processo de fabricação na planta piloto da NextGenAM é completamente escalável: as linhas de produção podem simplesmente ser duplicadas para ampliar a capacidade da fábrica. Isso traz a expectativa de substanciais reduções de custos no futuro, à medida que a demanda aumente.

Leia também:
– Aluminum Association anuncia normalização das ligas de alumínio para impressão 3D
– Impressão 3D com alumínio de alta resistência
– A impressão 3D e o alumínio

Projeto NextGenAM já produz peças de reposição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *