13 de outubro de 2016
Características do alumínio são fundamentais para a eficiência dos sistemas de pisos móveis para implementos rodoviários

Por Marcio Ishikawa |

O sistema de piso móvel é um equipamento de automatização da movimentação de carga ainda pouco conhecido no mercado brasileiro, mas que vai aos poucos ganhando seu espaço. Sua principal aplicação acontece em implementos rodoviários, oferecendo algumas vantagens no transporte de cargas, especialmente a granel, mas o piso móvel também pode ser utilizado em instalações estacionárias, ainda que esta modalidade represente apenas uma parcela pequena.

Piso Móvel Hallco
Piso móvel permite o descarregamento automático de materiais a granel ou cargas paletizadas. (foto: Hallco)

O compromisso do alumínio entre leveza e resistência é o que garante a viabilidade desse sistema, criado na década de 70 nos Estados Unidos pelo fundador da Hallco – empresa que iniciou há pouco mais de um ano sua operação aqui no Brasil. “Se o piso móvel utilizasse perfis de aço, o equipamento seria inviável comercialmente, pois ele aumentaria demais a tara do implemento”, explica Marcus França, gerente de vendas para a América do Sul da Hallco.

Já Michel Schröder, gerente de vendas externas da Hyva no Brasil, multinacional com sede na Holanda e que comercializa o piso móvel no mercado brasileiro desde 2002, destaca que há apenas uma opção de piso móvel que não utiliza o alumínio. “Existe um perfil de plástico, indicado apenas para o transporte de papel”, explica. “Mas o principal mercado do piso móvel é o de biomassa”.

Vídeo acima mostra o descarrregamento de biomassa com a utilização do piso móvel

A principal aplicação para o piso móvel é o transporte de produtos a granel, dos mais variados tipos, desde bagaço de cana de açúcar, casca de arroz e outros produtos agrícolas (como milho, laranja, batata, por exemplo), até carvão, compostagem, produtos recicláveis (papel, pneus), lixo, resíduos de comida e de material hospitalar. Atualmente, no Brasil, o produto em que o piso móvel mais vem sendo aplicado é o de cavaco de madeira. Apesar de ser mais indicado para produtos com baixo peso específico, também pode ser utilizado para o transporte de minério, brita e também cargas paletizadas.

Vantagens
Dependendo do tipo de aplicação, segundo os fabricantes, o piso móvel pode substituir os caminhões basculantes ou as carretas com abertura lateral. Em relação ao primeiro, a principal vantagem está na questão da segurança – como a caixa de carga é projetada para cima no momento do descarregamento, o centro de gravidade fica mais alto e, dessa forma, os basculantes ficam sob risco constante de tombamento. Já o implemento com piso móvel mantém o mesmo centro de gravidade no processo de descarregamento e não apresenta nenhuma possibilidade de tombamento, mesmo que haja algum desnivelamento do solo. Essa característica permite que vários caminhões executem o descarregamento em paralelo, agilizando processos que envolvem vários caminhões. Na operação com basculantes, isso não é possível, devido aos riscos envolvidos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Outro ponto problemático para os basculantes é a sua operação em ambientes fechados, já que exige instalações com um pé direito bastante elevado. Com o piso móvel, é necessário apenas a altura mínima para a circulação do implemento. O sistema também oferece muito mais flexibilidade para as empresas e também para o transportador. França, da Hallco, cita o case de uma fabricante de cimentos, em que o caminhão vai até a empresa carregado com biomassa para alimentar as caldeiras e volta carregado com pallets de cimento para serem entregues nos pontos de venda. Essa operação, que torna a logística da empresa mais eficiente, não seria possível se fosse feita, por exemplo, com basculantes.

Além disso, o executivo da Hallco aponta que o piso móvel é um sistema muito mais gentil com as cargas, o que agrega valor tanto para o contratante como para o transportador. “O carvão perde valor se estiver quebrado em pedaços menores. O mesmo acontece com a batata caso ela sofra grandes impactos e fique marcada”, exemplifica. Segundo ele, isso faz com que o frete pago ao transportador que utiliza o sistema de piso móvel, em alguns casos, seja maior em relação àquele que faz uso do sistema basculante.

Os basculantes ainda apresentam uma limitação de carga. “Enquanto uma carreta com piso móvel pode chegar a mais de 100 m3, um basculante leva no máximo 65 m3”, diz Schröder, da Hyva. Ele ainda destaca as vantagens em relação ao descarregamento manual de carretas com abertura lateral. “Com o piso móvel, o motorista faz o descarregamento completo sozinho, em poucos minutos. Já nas carretas de abertura lateral será necessário uma escavadeira ou trabalhadores fazendo o descarregamento com pás, o que, nos dois casos, demandará um tempo muito maior.

Como funciona
Instalado em reboques, semi-reboques, bi-trens ou carrocerias sobre chassi, o sistema de piso móvel substitui o piso original do implemento por vários perfis de alumínio. Os perfis se movem longitudinalmente, controlados por três cilindros hidráulicos independentes. Cada cilindro movimenta um perfil, alternadamente, a cada grupo de três.

A movimentação de carga acontece em função do ciclo de movimentação dos perfis, que tem quatro etapas: o primeiro cilindro faz a movimentação do perfil 1 de cada grupo de 3 perfis, mas a carga permanece parada, pois fica apoiada nos demais, que permanecem imóveis. Na segunda e terceira etapa, o processo se repete com o perfil 2 e 3. Por fim, todos os perfis voltam juntos à posição inicial, movimentando a carga nesse momento.

Vídeo acima mostra o deslocamento dos perfis de alumínio que é responsável pela movimentação da carga.

O comprimento dos perfis extrudados segue o comprimento interno do implemento, enquanto a sua espessura e design dependem do tipo de carga que será transportada. “Para operações de minério, por exemplo, é necessário utilizar perfis maiores, pois além de suportar um peso maior, eles precisam resistir ao impacto à que são submetidos no ato do carregamento”, explica França. “Mas esse mesmo perfil seria inadequado para o transporte de bagaço de cana, pois o caminhão carregaria um peso extra desnecessário – nesse caso, o ideal é um perfil mais fino”. Além da questão da espessura, existem diferentes tipos de desenho dos perfis, adequados para os diferentes tipos de carga. Nesse ponto, o alumínio oferece outra vantagem fundamental, já que seu processo de extrusão permite a criação de geometrias bem mais complexas do que o aço.

O sistema de piso móvel demanda um caminhão que possua uma bomba hidráulica, do mesmo tipo que é utilizada pelos caminhões basculantes. Existem duas opções de instalação do sistema hidráulico. A primeira, mais comum, é feita por baixo do piso, localizado nos vãos existentes entre os eixos e o pino rei – e praticamente sem reduzir o espaço útil para o transporte de carga, já que ele substitui o piso original, ficando apenas alguns centímetros acima. O outro modelo, na parte frontal da caixa, é usado em implementos estanque, destinados a receber cargas que liberam líquidos, como lixo e resíduos alimentares. Nesse caso, abaixo do piso móvel é instalada uma cama rígida, que faz a retenção dos líquidos liberados pela carga. Já a vedação nas portas é similar a dos caminhões frigoríficos.

Piso móvel
Visão do sistema hidráulico do piso móvel, localizado abaixo dos perfis (foto: Hallco)
Piso móvel
Sistema hidráulico do piso móvel localizado à frente dos perfis, indicado para caixas estanque (foto: Hallco)

O piso móvel é mais um dentre vários exemplos de como o alumínio, aliando leveza, resistência e flexibilidade, pode oferecer soluções diferenciadas para o setor de transportes, trazendo muito mais eficiência e rentabilidade.

Movimentação de carga
3 comentários sobre a matéria:
  • 29/01/2018 às 17:48

    Qual preço do piso móvel para transporte de carvão mineral que atenda um cavalo trucado 6/2.preco para é aluguel.

    Responder
  • 11/05/2018 às 15:38

    Necessito de valores e especificação técnica de carreta com piso móvel.

    Responder
  • 04/10/2018 às 16:49

    Boa tarde.

    Solicitamos, por gentileza, orçamento dos itens abaixo, incluindo disponibilidade de entrega, condições de pagamento e volumes transportáveis em toneladas para cada modelo.
    Gostaríamos de receber os orçamentos nas versões piso móvel e piso duro, além das opções com e sem lona automática.
    Aguardamos retorno.
    Grato:

    – Rodotrem;
    – Bitrenzão;
    – Romeu e Julieta.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *