2 de maio de 2013
Honda descobre técnica para unir um painel externo em alumínio com o interno em aço

Alexandre Akashi |

Na busca pela eficiência energética, consequentemente redução de consumo de combustível e emissões de CO2, a engenharia automotiva tem realizado incansáveis pesquisas para unir metais com propriedades diferentes e encontrar assim o melhor custo benefício.

A Honda acaba de anunciar mais uma descoberta que promete mudar paradigmas na indústria automotiva. A montadora informa que desenvolveu uma técnica que une chapas de aço e alumínio de forma tal que previne corrosão galvânica e deformidades térmicas causadas pelas diferentes taxas de expansão de cada tipo de metal, considerados os principais ‘vilões’ a serem combatidos.

Segundo a Honda, para chegar ao resultado esperado – aplicar alumínio nos painéis exteriores das portas que normalmente são de aço, foi necessário o desenvolvimento simultâneo de três tecnologias diferentes. A primeira, para unir materiais diferentes, com adoção de estrutura “3D LockSeam”, em que o painel de aço e o de alumínio são unidos em camadas e dobrados duas vezes. A segunda, para evitar corrosão galvânica, usando um aço especial, altamente resistente à corrosão e uma nova geometria de peça, a qual assegura o completo preenchimento de fendas com um agente adesivo. E, finalmente, para controlar deformidades térmicas, aplicação de um agente adesivo com baixo módulo de elasticidade e com posição otimizada no “3D LockSeam”.

Costura mecânica
O professor do departamento de Engenharia de Materiais do Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana), William Naville, comenta que a técnica de dobra do alumínio com aço desenvolvida pela Honda é muito similar à utilizada pela indústria de alimentos, no fechamento de latas de conserva, porém com um único metal. “Mas esta é a primeira vez que vejo esse tipo de ‘costura mecânica’ no setor automotivo”, afirma.

Naville comenta ainda que um dos segredos da Honda foi encontrar um isolante para evitar a corrosão galvânica que pode ocorrer ao se unir dois metais diferentes. “A diferença de potencial provoca uma força motriz que ocasiona perda de massa em um ou ambos metais dependendo do meio que estiver presente”, diz.

Além disso, Neville destaca a preocupação da Honda com os diferentes pontos de deformidade térmica de cada um dos metais. “O adesivo é flexível para que acomode os diferentes metais com o aumento da temperatura”, explica. “O trabalho foi encontrar uma fórmula que adere bem a ambos os metais”, diz.

aluauto-mat28-img2
A nova técnica de dobra de alumínio e aço utiliza um adesivo de baixa elasticidade e um isolante para evitar corrosão galvânica, e elimina o uso de solda

Outro benefício alcançado é a redução de peso do lado exterior do corpo do veículo, o que faz com que o ponto de gravidade se concentre mais no centro do carro, contribuindo para uma melhor estabilidade.A novidade tem mercado certo: o norte-americano. Assim, a montadora já anunciou que esta nova técnica está sendo adotada no novo Accura RLX, e em breve será disponibilizada para outros modelos da marca, pois além de possibilitar redução de peso no veículo (no RLX é de 17% do peso dos painéis, em relação ao convencional, em aço), a tecnologia de união aço‑alumínio pode ser aplicada nas linhas de produção já existentes, com a vantagem extra de eliminar um processo de solda a ponto, normalmente utilizado em portas de aço convencionais.

Subchassis
Vale lembrar que em setembro do ano passado, a Honda já havia anunciado uma outra técnica para unir aço e alumínio, aplicado ao subchassis do Honda Accord 2013. Usando soldagem por fricção (Friction Stir Welding – FSW), a montadora conseguiu redução de 25% no peso da peça, se comparada com uma 100% em aço. Veja mais detalhes no Boletim Aluauto 31

Mais leveza ao abrir as portas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *