14 de dezembro de 2018
Produtos foram desenvolvidos para estampagem a quente de componentes complexos

Por Marcio Ishikawa |

A Hydro lançou três novas ligas de alumínio especialmente desenvolvidas para ser utilizada no processo de conformação superplástica. Segundo a empresa, cada uma das novas ligas oferecem propriedades que superam as qualidades das alternativas existentes atualmente no mercado global para sua utilização no processo de estampagem a quente, que permite a criação de designs complexos.

Conformação superplástica

As ligas 5083 de nova geração, 5456 e 7020 demandaram dois anos de desenvolvimento e oferecem maior capacidade de alongamento ou propriedades de formação, maior resistência pós-formação e permitem ciclos mais reduzidos que as ligas comercialmente disponíveis até então.

No processo de conformação superplástica, a chapa de alumínio é aquecida a mais de 500°C e depois é empurrada para dentro do molde através de pressurização do ar. Dessa forma, é possível atingir formas, profundidade e raios extremamente complexos, o que não é possível com o a ferramenta convencional com molde de duas peças.

Bentlley Continental GT - Conformação superplástica

Atualmente, há um grande interesse das fabricantes automobilísticas em produtos de formação superplástica porque o processo permite aos fornecedores de alumínio produzirem produtos estampados com espessura reduzida. Um exemplo atual em produção é o Bentley Continental GT, cujo painel lateral é feito através desse processo.

“As fabricantes estão desenvolvendo componentes cada vez mais avançados e isso acabará levando ao uso da conformação superplástica. Nós trabalhamos com alguns deles, tando como outros fornecedores, no desenvolvimento de novas ligas.”

Jonas Bjuhr, Head de estratégia, P&D e inovação de produtos laminados da Hydro

A conformação superplástica é eficiente do ponto de vista econômico, uma vez que uma chapa pode ser esticada até  200 vezes em relação ao seu tamanho original. Dessa forma, peças de grandes dimensões podem ser formadas a partir de uma folha e, assim, substituir construções mais complexas que antes eram feitas de um grande número de peças menores. Outras vantagens incluem consolidação de peças e baixa tensão de conformação.

O processo de conformação superplástica permite aos fabricantes de automóveis reduzir o peso dos seus veículos de uma forma mais eficiente do que com o uso de materiais exóticos, como fibra de carbono e outros compósitos.

A conformação superplástica já vem sendo utilizada pela indústria aeroespacial há cerca de 25 anos. Além disso, o processo também vem sendo adotado na produção de ônibus e trens.

Leia também:
– Hydro inaugura nova linha automotiva na Alemanha

Hydro: novas ligas para conformação superplástica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *