20 de fevereiro de 2018
Com carroceria integral em alumínio desde 2014, picape mais vendida no mercado americano mantém vendas em alta

O anúncio de que a 13ª geração da Ford F-150, mostrada ao mundo no Salão de Detroit de 2014 e que chegou às lojas alguns meses depois, seria feita com carroceria integral em alumínio, gerou previsões de um futuro sombrio para a picape por parte dos críticos. O ousado passo da fabricante americana foi taxado como sendo o possível início do declínio do modelo, campeão de vendas do mercado norte-americano por 32 anos seguidos.

Ford F-150 2018

Quatro anos depois, com três anos cheios de vendas, nada mudou no domínio da picape no mercado norte-americano. O fechamento das vendas de 2017 aponta que foram comercializados 591.864 unidades da Ford F-150, todas com carroceria de alumínio, mantendo a curva de vendas em alta de 2014, quando foram vendidas 490.942 picapes – majoritariamente unidades ainda com carroceria em aço.

A Ford não divulga o número exato de unidades da F-150 vendidos, apenas o total da F-Series (que incluem os modelos maiores “Super Duty”), mas o site Torquenews.com fez um levantamento a partir do mix divulgado anualmente e chegou aos seguintes números:

Não são dados totalmente precisos, mas a variação é mínima, permitindo visualizar claramente que as vendas da Ford F-150 continuam crescendo ano a ano – chancelando a decisão da Ford em apostar no alumínio como o principal material do seu mais importante modelo. A escolha proporcionou uma redução de 318 quilos na versão cabine-dupla em relação à geração anterior. Dependendo da versão, a picape ficou de 15 a 20% mais leve. Isso melhorou a sua dirigibilidade, aumentou a segurança, reduziu o consumo de combustível e a emissão de poluentes.

SUVs – Os resultados positivos já levaram a adotar a carroceria integral de alumínio nos utilitários esportivos Ford Expedition e Lincoln Navigator em 2017. E a Ford já planeja aumentar a produção dos dois modelos em cerca de 25%. “Nós podemos vender todas as unidades que produzirmos aqui”, disse Joe Hinrichs, presidente global de operações da Ford na planta de Louisville, no estado americano do Kentucky, onde os dois SUVs são produzidos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Com o aumento na produção, a Ford busca se aproximar da rival General Motors em um segmento em que ela historicamente domina, com a GMC Yukon e a Chevrolet Suburban – os modelos da GM venderam mais de 19 mil unidades em janeiro de 2018, contra menos de 5 mil unidades dos SUVs da Ford. “Nossa proposta é a de ganhar mercado oferecendo economia de combustível e uma melhor dirigibilidade”, disse Hinrichs. Para o aumento na produção, a Ford investirá 25 milhões de dólares em Louisville, totalizando 925 milhões desde o início das adaptações para a produção dos modelos com carroceria de alumínio.

F-150 consolida alumínio nos modelos de produção em larga escala

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *