23 de maio de 2019
Nanofios de telúrio permitiriam a criação de nova geração de baterias, seguinte às de íons de lítio

Por Marcio Ishikawa |

As baterias de íons de alumínio, consideradas bem promissoras, podem ganhar um novo impulso. Pesquisadores da Universidade de Ciência e Tecnologia de Pequim e do Instituto de Tecnologia de Pequim publicaram um estudo em que demonstram o potencial que eletrodos de nanofios de telúrio apresentam para o desenvolvimento de baterias de telúrio-alumínio (Telurium Aluminum Batteries – TABs) recarregáveis de alta capacidade.

Baterias de íons de alumínio

Publicado na revista RSC Energy & Environmental Science, o artigo relata que os nanofios de telúrio fornecem uma capacidade de descarga elevada, superior a 1026 mA h g-1 (com uma corrente específica de 0,5 A g-1), juntamente com uma tensão de descarga inicial de 1,4 V. São valores, de acordo com os pesquisadores, competitivos com a densidade de energia registrada nas baterias de íons de alumínio (Aluminum Ion Batteries – AIBs) documentadas.

O estudo ressalta que as baterias de íons de alumínio possuem boa relação energia/custo, já que o alumínio possui alta densidade de energia, além de ser um oferecerem segurança. Devido a essas características, os AIBs baseados em eletrólitos líquidos iônicos estão sendo considerados promissores na busca por soluções de dispositivos de armazenamento de energia seguros, que seria a geração seguinte às baterias de íons de lítio.

O principal obstáculo para o desenvolvimento das baterias de íons de alumínio está no fato de que materiais do eletrodo positivo – incluindo grafíticos, óxidos, sulfetos, selenetos e enxofre – ainda não conseguem fornecer a densidade de energia desejável. Cátodos de calcogênios (enxofre e selênio) mostraram capacidades específicas promissoras, mas as baterias de enxofre-alumínio e selênio-alumínio apresentam baixo desempenho de recarga devido às características isolantes desses elementos.

Para resolver essa questão, os pesquisadores usaram os nanofios telúrio como material catódico no desenvolvimento de um novo protótipo de baterias telúrio-alumínio. O telúrio é intrinsecamente mais condutivo e possui capacidade específica teórica ultra-alta.

Leia também:
– Fortum aumenta índice de reciclabilidade das baterias de veículos elétricos
– Novelis apresenta compartimento de baterias em chapas de alumínio
– Audi testa segundo ciclo de vida para baterias de íons de lítio

Estudo aponta solução para baterias de íons de alumínio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *