23 de outubro de 2019
Este é um dos dados revelados pelo mais recente estudo da DuckerFrontier, realizado sob encomenda da European Aluminium

Por Marcio Ishikawa |

A terceira edição do estudo “Conteúdo de Alumínio nos Automóveis de Passageiros da Europa”, produzido pela DuckerFrontier sob encomenda da European Aluminium, estima que a média de conteúdo de alumínio nos automóveis produzidos na Europa fechará 2019 em 179 quilos, o que representa um aumento de 20% em apenas três anos. A mesma pesquisa indica que os carros europeus, em 2025, devem atingir a média de 200 quilos de alumínio por veículo.

O cenário de 2019 confirma que o crescimento da participação do alumínio nos automóveis é ininterrupto – e corresponde à previsão mais otimista da segunda edição do estudo, divulgado em 2016. Além da busca pela redução de peso e consequente incremento da eficiência energética, outro fator preponderante para esse crescimento é o fato do alumínio ser um material facilitador da eletromobilidade. 

Escopo do estudo
O estudo da DuckerFrontier inclui informações de fabricantes de automóveis, fornecedores e de membros da European Aluminium e faz uma análise da produção dos 28 membros da União Europeia (não inclui veículos montados no sistema CKD).

A amostra selecionada de veículos cobre 94,3% da produção desses países e inclui 11 modelos puramente elétricos: Audi e-tron, e-tron GT; BMW Série 3 EV; Ford C EV; Jaguar I-Pace (acima, a foto de sua estrutura em alumínio); Mercedes-Benz EQC e EQE Sedan; Peugeot 208 EV; Porsche Taycan; Renault Zoe ZE; Volkswagen ID.3.

Em cima dessa amostra, a DuckerFrontier fez uma análise detalhada da utilização de produtos de alumínio: fundidos, extrudados, forjados e chapas, divididos em 12 grupos, em um total de 38 componentes em destaque.

Motor Blocos, cabeçotes, tampas do cabeçote, pistões, coxins, cárter e outros componentes de motor
Direção
Chassi e Suspensão Braços, juntas de direção, suportes de rodas, subchassis e outros componentes de chassi e suspensão
Rodas
Freios
Acabamento e interior Acabamento externo e interno, trilhos de teto, teto solar, reservatórios e trilhos
Transferência de calor Trocadores de calor, isoladores térmicos e outros componentes de transferência de calor
Transmissão Carcaças de transmissão e diferencial, caixas de transferência, eixos de transmissão e outros componentes da transmissão
Estrutura de carroceria Estrutura de carroceria completa, torres de amortecedores, trilhos, suportes de radiador, partes estruturais, assoalhos, estruturas de painel, painéis laterais, outros componentes de carroceria
Painéis de fechamento Capôs, paralamas, tampa de porta-mala/caçamba, teto, portas e outros painéis de fechamento
Crash-boxes Sistemas de parachoques
Eletrificação Compartimentos de baterias e carcaças de motores elétricos


Produção de automóveis na Europa

Em 2019, o volume previsto para a produção europeia é de 16,7 milhões de unidades, inferior ao registrado em 2016, com 16,9 milhões. No entanto, para os próximos anos, a expectativa é de crescimento, chegando a 18,3 milhões em 2025, uma Taxa de Crescimento Anual Composta (CAGR) de 1,54%. A Volkswagen lidera a produção por marca, com quase dois milhões de unidades produzidas.

DuckerFrontier

O segmento C, de carros compactos, representa 43% da produção total, proporção que deve ser mantida até 2025. O único movimento esperado é o crescimento do segmento B, dos subcompactos, em detrimento do A, dos modelos básicos.

DuckerFrontier

De acordo com a European Aluminium, a preferência dos fabricantes pelo alumínio é em boa parte ligada à sua leveza – ou seja, sua aplicação faz com que qualquer automóvel se torne mais eficientes, independente se é movido à gasolina, diesel ou se é um veículo eletrificado. Devido à sua inerente resistência e excelente capacidade de absorver a energia de colisões, partes estruturais de alumínio com o design correto podem ser mais seguras que as similares em aço, mas até 50% mais leves. A entidade também ressalta que carros mais leves contribuem substancialmente para a redução da emissão dos gases formadores do efeito estufa.

Eletrificação
A tendência de eletrificação da frota mundial de veículos é um outro fator que contribui para o crescimento do conteúdo de alumínio, em todas as formas de produto em que se apresenta: chapas, extrudados, forjados ou fundidos. 

“O alumínio é um verdadeiro facilitador da eletromobilidade. A combinação de chapas de alumínio, extrudados e fundidos representa a solução perfeita para os veículos elétricos. Tanto para a proteção das baterias como para a redução de peso, de modo a aumentar sua performance ou autonomia”
Dieter Höll, Chairman do Conselho de Automóveis e Transporte da European Aluminium


Se a taxa de crescimento anual composta da produção europeia de automóveis até 2025 é estimada em 1,54%, esse número salta para 33,1% quando a amostra se fecha apenas nos veículos eletrificados, considerando os híbridos plug-in e os elétricos puros. Ainda de acordo com a DuckerFrontier, em 2019 a Europa deve fechar o ano com 597.420 veículos desse tipo produzidos; já para 2025 a expectativa é que esse número chegue a mais de 3,3 milhões de unidades.

 


Diante da evolução da tecnologia, principalmente dos sistemas de baterias, a expectativa é que o número de elétricos puros, que atualmente ainda é menor que o de híbridos plug-in, seja mais que o dobro em 2025 (veja no gráfico abaixo as projeções da DuckerFrontier).

 

Conteúdo de alumínio
Atualmente, o conteúdo médio de alumínio por veículo é de quase 180 kg, enquanto o conteúdo total de alumínio para todo o mercado de automóveis, incluindo a frota eletrificada, é estimado em 2.989 KT. A maior participação é dos produtos fundidos. Segundo o estudo da DuckerFrontier, o conteúdo médio de alumínio por veículo deverá aumentar em aproximadamente 20 kg, chegando a quase 200 kg até 2025, elevando o conteúdo total usado na produção dos carros europeus para 3.635 KT.

Os produtos fundidos continuarão sendo predominantes, mas chapas e extrudados serão as que mais devem aumentar sua participação no período.

A pesquisa da DuckerFrontier aponta que o conteúdo de alumínio deve aumentar em quase todos os grupos – com exceção de motores, transmissão e acabamentos e interiores, que devem ter redução, respectivamente, de 2,43%, 0,58% e 0,04%.

Na divisão por categoria, nota-se que o segmento E tem o maior conteúdo por veículo (442 kg, em média), mas o maior volume faz com que o segmento C seja o que mais consome alumínio, com mais de um terço dos 2989 KT de alumínio que serão destinados à produção de automóveis na Europa em 2019.

Por segmento, os modelos líderes no conteúdo em alumínio são:
A – Opel Adam, com 110 kg de Al por veículo (total: 2,6 KT)
B – Audi Q2, com 164 kg de Al por veículo (total: 12,5 KT)
C – BMW i3, com 367 kg de Al por veículo (total: 14,5 KT)
D – Jaguar I-Pace, com 704 kg de Al por veículo (total: 15 KT)
E – Audi e-tron, com 804 kg de Al por veículo (total: 22,8 KT)

As marcas Jaguar e Land Rover, que fazem parte do mesmo grupo, despontam como as que mais alumínio utilizam por veículo. Outra marca que se destaca é a Porsche, que junto com as do Grupo Jaguar Land Rover, são as únicas a ter uma média superior a 400 kg de alumínio por automóvel produzido.

Por veículo, o grupo Jaguar Land Rover continua em destaque, com oito entre dos 20 modelos com maior conteúdo de alumínio. No entanto, o veículo com maior conteúdo total de alumínio é o Audi e-tron, único a superar os 800 kg do metal em cada unidade produzida.

Audi e-tron

Audi e-tron (foto acima) 804 kg Porsche Taycan 600 kg
Land Rover Range Rover 794 kg Audi A8 586 kg
Land Rover Range Rover Sport 746 kg Porsche Cayenne 562 kg
Jaguar I-Pace 704 kg Jaguar XF 549 kg
Mercedes SL 679 kg Porsche Cayenne Coupé 543 kg
Jaguar F-Pace 649 kg Land Rover Discovery 533 kg
Jaguar XE 641 kg Audi Q8 532 kg
Mercedes AMG GT 633 kg BMW Série 7 530 kg
Jaguar F-Type 614 kg Mercedes Classe S 516 kg
Audi Q7 613 kg Porsche Panamera 511 kg

 

Já no recorte por grupos de componentes, quase metade do conteúdo é aplicado no motor e nas rodas – chegando a aproximadamente 45%. Já o maior crescimento se dará exatamente nos componentes do grupo de eletrificação, os compartimentos de baterias e as carcaças de motores elétricos.

 


A pesquisa da European Aluminium/DuckerFrontier também mostra um recorte atual do conteúdo de alumínio por tipo de propulsão, com a maior média pertencendo aos modelos híbridos-plug-in.

 

A European Aluminium ainda ressalta a intensa colaboração entre a indústria do alumínio e os fabricantes de automóveis e seus fornecedores, visando uma redução de peso ainda maior. Segundo a entidade, centenas de novas ligas foram desenvolvidas buscando atender as cada vez mais exigentes demandas da indústria automobilística. Elevada resistência, melhor formabilidade e aumento na absorção de energia são algumas das áreas em que os esforços foram concentrados.

Além disso, a indústria do alumínio também está investindo em inovações para viabilizar a transição para a eletromobilidade. Estações de carga, cabos de energia elétrica e aerogeradores são alguns dos produtos em que o alumínio já desempenha um importante papel.

Leia também:
– Redução de peso será fundamental nas próximas décadas
– Aluminum Association anuncia normalização das ligas de alumínio para impressão 3D
– Novelis Innovation Hub é inaugurado nos EUA

 

Europa: conteúdo de alumínio nos carros aumenta 20% em três anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *